segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Quanto custa um carro para a sociedade?


É incrível: depois que comecei a viver a vida de bicicleta, passei a olhar para a cidade com outros olhos, num outro ritmo.
Muito mais humano.

Percebi - por exemplo - inicialmente que eu não preciso ter carro para sobreviver, e isso também é incrível! Quando repito esta frase aos meus amigos eles me olham como se eu fosse um ET:
"- Como assim viver sem carro?"
Percebi mais com o tempo: que este dilema de ter ou não ter carro é - de fato - pouco importante, pois é claro que o carro tem sua utilidade e sua importância, o problema é a forma como o utilizamos, o que fizemos dele.

Hoje nosso povo é escravo do carro, dizemos que é "uma segunda família", sem perceber o absurdo que esta frase representa.

Bem, quando comecei a viver a vida de bicicleta vi como é bom ser livre em relação a paradigmas criados que não tem o menor sentido. "Brasileiro adora carro" é propaganda de posto de combustível (alguém já disse esta frase, não sei quem).

Hoje nosso governo incentiva o uso quase criminoso de carros, reduzindo IPI e aumentando o imposto sobre importação de peças de bicicletas. Não sei se estamos apenas atrasados em relação ao mundo, me parece que estamos indo pro lado contrário! Nosso governo que nos fazer acreditar que país rico é aquele em que todo mundo anda de carro? Todos os dias? Para todos os lugares?

Um colega há alguns dias fez o seguinte terrível trocadilho: "-acabo de receber meu vale transpobre". Este é um pensamento tipicamente de cidadão antiquado do terceiro mundo, pois a história do mundo nos mostra que país rico é aquele em que o rico anda de transporte público...

Bem, todo este desabafo acima é para alertar para um problema que é cada vez maior em nossa vida na cidade: a mobilidade urbana. Sobre como nossas vidas tem - ao contrário do que se imagina - piorado com o uso do carro no dia a dia, como meio de transporte urbano.

Na prática tudo que escrevi é uma introdução a este excelente vídeo produzido pelo ITDP. Aproveite!


Se você pensou "mas isso é sobre o México", vou lhe falar sobre os números (aproximados) do Brasil (dados de 2011):

  • População: 190 milhões
  • Frota de automóveis: 25 milhões

Em outras palavras: 87% da população paga para os outros 13% utilizarem seus carros...

Mais números alarmantes podem ser vistos na matéria que sempre cito: Como o automóvel se tornou o principal instrumento de arrecadação do país.

Sobre o mesmo tema, vale a pena dar uma olha na ótima entrevista com Walter Cook, diretor do ITDP.

Até o próximo...

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Passeio de bicicleta - Laranjeiras/MAM - Domingo 28/10/2012

Amigos,

Antes de tudo, já começo me desculpando pela ausência nos últimos tempos. Não é fácil manter o Blog em dia com tantas atividades paralelas (já falei sobre isso aqui).
Mas quero dar satisfação porque muita gente tem vindo aqui pedir ajuda e só tenho conseguido ajudar algumas por e-mail.
Estou numa fase em que meu tempo está escasso - por motivos pessoais - e por isso as coisas por aqui estão devagar.
Prometo que volto logo!

...

Mas venho aqui principalmente para divulgar mais um passeio ciclístico em Laranjeiras.

Desta vez o destino é o MAM e lá haverá um PIC-NIC com a turma de organizadoras (Bel, Maysa, Melissa, Michelle e Tati), momento em que haverá um grande bate papo, para discutir bike-ideias e - principalmente - possibilidades de reforçar a iniciativa pró-ciclovia em Laranjeiras e Cosme Velho.


Como estou afastado, não participei da organização deste, mas ajudo com a divulgação (mesmo em cima da hora) e farei o possível para participar.

Então divulgue, participe, contribua, mude o seu mundo!

Até o próximo e até lá...

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Vaga Viva no Rio de Janeiro e em Niterói

Este nome soa estranho, não é? Mas é muito simples: ocupação de uma vaga de carro durante um dia com atividades destinadas às pessoas, não aos carros.

;-)

Para não ser enfadonho - vou listar abaixo vários artigos interessantes sobre as Vagas Vivas. Portanto este artigo aqui é apenas para divulgar as que teremos no Rio de Janeiro nos próximos dias:

  • Rio de Janeiro Centro: Em 21/09/2012, Rua Senador Dantas.
  • Rio de Janeiro Laranjeiras: Em 22/09/2012, Rua General Glicério. Como parte das ações pró-ciclovia em Laranjeiras. Veja detalhes em post recente aqui do Blog.
  • Niterói: Pela primeira vez! Em 25/09/2012 na Moreira César, Icaraí. Veja detalhes no Facebook.

Todas elas duram - normalmente - o dia inteiro, contam a participação e apoio da Transporte Ativo e do ITDP. É só aparecer, participar e aproveitar!

Para saber mais sobre as Vagas Vivas:


Participe, divulgue!

Até o próximo...

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Andar de bicicleta em laranjeiras - Ações URGENTES em prol de infraestrutura

Laranjeiras e Cosme Velho são bairros com algumas características curiosas: uma rua principal - no meio de morros - que dá acesso a pequenas ruas sem saída ou a ruas que acessam bairros nestes morros.

Apesar de pequeno é um bairro que dá acesso a muitos pontos estratégicos: Santa Tereza, Corcovado (é de lá que sai o bondinho para o Cristo), Túnel Rebouças. Mas é muito residencial e com muitas escolas.

Por só ter uma rua principal, todos precisam passar por ela para entrar e sair do bairro. Mas há um grande problema: a prioridade não é das pessoas que vivem ou passam por lá, a prioridade é dos carros!

Você pode pensar "como assim, carros não transportam pessoas?", a resposta parece simples, mas não é:

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Como surgiram as ciclovias na Holanda

Acabo de receber este vídeo e achei ótimo!

Tanta discussão quando defendemos a bicicleta como meio de transporte viável e sempre que defendemos isso vem alguém falando que "aqui não é a Holanda".

Depois de me envolver com este mundo passei a ter informações - sobretudo da Transporte Ativo - de que estamos passando hoje por um momento muito semelhante ao que aconteceu na mesma Holanda há algum tempo atrás.

Também é comum ouvir frases do tipo "Não adianta querer copiar modelos europeus ou de outros países, o Brasil é diferente". De fato as pessoas que defendem isso não percebem que nós copiamos sim, o modelo americano, o maior poluidor do mundo. Para a maioria de nosso povo os EUA são o principal modelo de desenvolvimento e um sonho de consumo. Enfim.
...
As informações do vídeo abaixo não são novas, mas gostei porque é em português, com uma linguagem não técnica e muito bem feito, vale divulgar!



Até o próximo...

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Como trancar a bicicleta na rua

Eu já estou para escrever um artigo sobre isso há muito tempo, mas hoje em especial fui tentado a fazê-lo: eu estava na Barca indo para o trabalho e comecei a bater papo com um colega de bicicleta.
Ele tinha uma Specialized HardRock 29 (uma bicicleta boa, que custa em média uns 2700 reais), mas a sua tranca não deve ter custado nem 50 reais...

quinta-feira, 26 de julho de 2012

A vida de bicicleta e de cara nova!

Quem disse que casa de ferreiro tem espeto de pau?

O blog acabou de completar 1 ano de vida.
Quando comecei não sabia para onde ia. Queria colocar a boca no mundo, ajudar as pessoas a começar a pedalar, a quebrar os paradigmas, queria dar exemplo, colocar mais pessoas pedalando mais vezes nas ruas.

No início tinha a ideia de fazer um artigo por semana, tendo apenas a bicicleta como tema.

Com o tempo percebi que manter um blog por conta própria não é tão simples quanto parece: manter regularidade nas publicações, não perder o foco, ter cuidado com a abrangência do tema, responder sempre aos leitores, acompanhar o que acontece para estar atualizado etc.
Tudo isso tendo que tocar a vida, as pessoas, atividades, estudos, projetos paralelos, ..., ..., ...

Ufa!

Mas devo confessar que é gratificante: ter o retorno das pessoas, agradecendo pelos artigos que os ajudaram de alguma forma vale por tudo.

Já temos quase 40.000 acessos e cada vez mais leitores fazem contato, faço questão de responder a todos.

Mas hoje é dia de comemorar mais do que este ano de blog, comemoro também a sua nova interface e identidade visual. O blog está de cara nova, desenvolvida especialmente para ele.

Um presente mais do que especial da Viviane, minha amiga, companheira, namorada, amada, querida, admirada, esperada. Minha.

Este artigo não é apenas para divulgar a nova cara do Blog, é para agradecer e homenagear a Viviane, que além de ter que tocar a vida, as pessoas, atividades, estudos, projetos paralelos, ..., ..., me deu este presente especial.



Viviane, obrigado obrigado abrigado abrigado! Por tudo!

E até o próximo...

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Bicicleta Dobrável DAHON SPEED D7 - Avaliação - Review - Opinião do dono

Eu já estava há muito tempo querendo colocar a opinião de alguém que possua uma DAHON - tão elogiada aqui e por muitos ciclistas, mas ainda não tinha conseguido um voluntário.

Para facilitar a vida de quem lê, optei por fazer todos os artigos destas avaliações no mesmo formato, para que os parâmetros fossem os mesmos. Mas recebi numa lista de discussão sobre bicicletas uma avaliação que um companheiro fez da sua Dahon Speed D7 e achei tão bom que nem pedi a ele para colocar no formato dos outros aqui.

O nome dele é Paulo Rafael e também possui um blog com bicicleta como tema: Agora Lascou. Este artigo foi publicado originalmente no Blog dele e o reproduzo aqui - claro - com a autorização dele.

Paulo Rafael, muito obrigado!

Então aqui segue uma avaliação tão esperada, mas num formato diferente dos outros. O texto é integral, fiz apenas alguns grifos em negrito para facilitar a leitura.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Acessórios e componentes para bicicleta urbana - Parte 2

Este artigo demorou, mas saiu. Se você chegou agora e não sabe exatamente do que se trata, veja o primeiro, com a explicação e outros componentes, eles foram listados em ordem alfabética.
Neste artigo, falaremos sobre:
  • Capas de chuva
  • Capacete
  • Espelhos retrovisores
  • Luzes dianteiras e traseiras

terça-feira, 26 de junho de 2012

Como se faz uma bicicleta (em 1945...)

Como era de se esperar, grande parte de minha navegação pela Web tem como objetivo informações sobre bicicletas, eu diria até que a maior parte de minha navegação tem este objetivo.
Muitas destas informações vem de redes sociais, listas de e-mails etc.

Há algumas semanas circulou por um destes canais um vídeo sobre como são feitas as bicicletas, mas o vídeo foi produzido em 1945 (!). Na hora, dei uma rápida olhada, com a promessa de assisti-lo depois. Mas acabou caindo em esquecimento.

Ontem, acabei tendo acesso novamente a este vídeo, desta vez publicado na go-outside, com um pouco mais de informações sobre o vídeo.
Desta vez assisti ao vídeo e é tão interessante que decidi compartilhar com vocês.

É um vídeo produzido pela Raleigh, uma marca inglesa super tradicional. Ele é todo em inglês, vale a pena dedicar 17 minutos a ele, aproveite!


Até o próximo...

terça-feira, 19 de junho de 2012

Pedalada Mundial Rio+20 - 51% de mobilidade por bikes até 2030

Eu já havia divulgado alguns eventos envolvendo bicicletas relacionados à Rio+20. Na última sexta fizemos uma reunião para organizar e definir tarefas.

Vai ser um grande evento e quanto mais pessoas estiverem lá, melhor para todos nós.

Abaixo o texto integral do evento e as metas:

...

Rio+Bike

World Bike Ride @ Rio+20 / Pedalada Mundial na Rio+20
Isso não é um protesto. É uma proposta!

Pedalada no dia 21 de junho durante a Rio+20 convoca governantes e sociedade para uma proposta a caminho de um desenvolvimento sustentável


Um grupo de pessoas, entidades e movimentos estão se mobilizando para a World Bike Ride @ Rio+20 (Pedalada Mundial na Rio+20), um grande encontro no dia 21 de junho com a proposta de tornar a bicicleta o meio de transporte urbano mais popular no planeta, alcançando 51% de sua participação na divisão modal das cidades até 2030. Mais que uma meta, é um sinal de alerta para os governantes e a população sobre a necessidade de tomarmos atitudes em prol da sustentabilidade, sendo a bicicleta uma das formas para isso.

A World Bike Ride @ Rio+20 tem uma coordenação horizontal e não se trata de uma organização, mas sim um movimento que buscará difundir este encontro não só no Rio de Janeiro, mas em diversas cidades do mundo.

Para quem não tem bicicleta, haverá inscrições no site Rioplusbike.org, um grupo de pessoas que se mobiliza para conseguir bicicletas para todos que queiram participar da pedalada. Mas, o encontro também é aberto para quem quiser ir a pé, por um trajeto mais curto, ou por outros veículos de propulsão humana (patins, skate, entre outros). 

Entre os dias 13 a 22 de junho, o Rio de Janeiro recebe a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, com a missão de discutir a agenda sustentabilidade nas próximas décadas. Em paralelo, diversas organizações e entidades da sociedade civil estão no Rio de Janeiro para apresentar propostas e soluções concretas que vão ao encontro dos objetivos da Rio+20. O desânimo com notícias alarmantes sobre a gravidade dos problemas socioambientais no planeta não contamina esses mobilizadores que buscam adesões de ciclistas, skatistas, patinadores, corredores e caminhantes para um ato pacífico, não-violento e propositivo, na Cinelândia, espaço emblemático de manifestações democráticas da história do Brasil. 

Os participantes da pedalada entendem que um dos temas-chaves nesse processo de busca de respostas é a mobilidade nas cidades. Desde 2007 a população mundial se tornou majoritariamente urbana, sendo que no Brasil, hoje, as cidades já comportam 87% da sua população. Para atender a demanda crescente da população dessas cidades, é emergencial se pensar em um bom sistema de transportes e planejamento urbano e a bicicleta é peça fundamental para essa mudança, seja pela sua eficiência como meio de transporte em pólos urbanos, como pelo seu potencial de mobilização da população para a interação com a cidade. Por isso acreditamos e almejamos que os meios urbanos contem com 51% de pessoas andando em bicicletas até 2030.

Em paralelo, para já chamar a atenção a esta proposta, ciclistas de várias regiões do país pedalaram até o Rio de Janeiro desde suas cidades para promover esse debate e apresentarão, durante a Rio+20, uma carta para a Presidente da República, Dilma Roussef, com orientações e diretrizes para políticas públicas sobre bicicleta como solução para a mobilidade nas cidades. A iniciativa faz parte do movimento Bicicletada Nacional rumo à Rio+20 e a carta pode ser acessada pelo link: bicicletadanacional.
wordpress.com.


World Bike Ride @ Rio+20 / Pedalada Mundial @ Rio+20
Data: 21 de junho de 2012
Horário: Concentração a partir das 18h00, Saída às 20h00
Local: Cinelândia (Praça Floriano) - Rio de Janeiro - Em frente ao Odeon

Mais informações:
com

...

Eu vou estar lá!

Até lá e até o próximo...

sábado, 16 de junho de 2012

Ciclocidadania nas escolas

Mais um evento relevante envolvendo as bicicletas na cidade de Niterói.
Palestra do professor Therbio Felipe.
Uso o espaço para divulgá-lo.


Até o próximo...

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Passeio ciclístico MAC -> MAM

Eu já tinha divulgado aqui como parte dos eventos envolvendo as bicicletas durante a Rio+20, mas agora divulgo com mais especificidade.

Este passeio é parte complementar ao II Seminário sobre Mobilidade Urbana Sustentável de Niterói, uma forma de fechar com chave de ouro o evento, interligando-o à Rio+20.

Parabéns ao Glauston da NITTRANS por estar a frente disso tudo.


Eu estarei presente.

Veja mais eventos no Rio e em outros estados na Cicloagenda do Vá de Bike.

Até lá e até o próximo...

terça-feira, 12 de junho de 2012

IPI Zero para bicicletas!

Já escrevi alguma coisa sobre isso por aí e chamo sempre atenção para o artigo que mostra como nosso povo ficou escravo do carro, sobretudo nosso governo.

Confesso que cada vez mais tenho achado isso uma atitude criminosa: incentivos loucos à produção e venda de carros novos + a quantidade já enorme de carros que rodam pelas ruas. É difícil crer que não se perceba o problema que trás para nosso país e nosso povo. Tudo bem que nossos políticos não são exemplos de cultura e sabedoria...

Grande parte do mundo - que já viveu e aprendeu que os carros não são a solução para o transporte nas cidades - tem feito o caminho inverso do que fazemos aqui no Brasil. Estes países estão cada vez mais desincentivando o uso dos carros, aumentando taxas e impostos sobre eles, dificultando seu uso através de muitas medidas.

Uma vez fiz um comentário sobre este tema numa aula de um MBA com pessoas da petrobrás e fui crucificado, eles alegavam que "nós somos um país muito atrasado em relação aos europeus e precisamos mesmo é consumir cada vez mais estes bens de consumo que antes nos eram muito caros".
Eles adoram citar aquela famosa imagem de satélite do "mundo à noite", em que se vê a quantidade de luz nas regiões do mundo (as mais iluminadas  são as mais desenvolvidas pela tese deles). Mas na verdade estas áreas iluminadas são apenas concentrações urbanas.
Esta turma acha ótimo - por exemplo - que o brasileiro tenha "mais acesso" aos SUVs:

- "Ah, agora a gente pode ter aqueles carrões de cinema!"

Só que estes carros eles não querem mais! A poluição sai de lá e vem prá cá!

Argh! quanta ignorância e pobreza de espírito!

Mas lutar contra a massa é coisa mesmo muito difícil, por isso estou aqui vociferando apenas para colocar os fantasmas para fora mesmo, porque não tenho a ilusão que meu discurso possa mudar a cabeça desta turma.

Portanto não estou escrevendo para mudar a cabeça de ninguém, escrevo para falar que talvez possamos fazer alguma coisa pelo "outro lado".

Hoje a Viviane me compartilhou um projeto de lei - muito compartilhado pelo Facebook -de um senador chamado Inácio Arruda. Este projeto prevê a redução do IPI para bicicletas!
Isso mesmo!

Como nunca tinha ouvido falar disso, googlei, achei o site do tal senador e a página sobre o projeto. Descobri que o projeto é de 2009(!), e que lá no site tem uma campanha pedindo assinaturas para apoiá-lo.
Tanto tempo com o projeto parado e o governo cai de sola baixando o IPI dos carros, talvez esta seja a nossa hora de berrar!

Então este artigo aqui nasceu para isso: divulgar e apoiar a campanha! E vamos parar de reclamar dos outros, vamos fazer o nosso...


Eu assinei! O endereço: http://www.inacio.com.br/conteudo?pagina=ipi-zero. Vai lá também!

Até o próximo...

segunda-feira, 11 de junho de 2012

A Rio+20 e eventos envolvendo bicicletas

Eu acho muito pouco provável que você não tenha ouvido falar dela, se for este o caso, dê uma olhada aqui para saber do que se trata.

Bem, este post é para começar a divulgar alguns eventos ciclísticos que acontecerão durante a conferência, segue a primeira lista abaixo:

NITERÓI+20: PEDALANDO POR UM MUNDO MELHOR
O que: Passeio de bicicleta do Museu de Arte Contemporâneo de Niterói (MAC) ao Museu de Arte Moderno do Rio (MAM), passando pelas barcas. Coordenado pela Prefeitura de Niterói, com a participação da equipe do ITDP e Thiago Leitman (Passeio Completo).

Quando: Dia 17 de junho, domingo, às 09:30h.

Como participar:  Não precisa se inscrever, só levar a bike.

1) BICICLETADA NACIONAL RUMO À RIO+20
O que: Bondes de vários pontos do país indo de bike até o Rio de Janeiro, disseminando a proposta da bicicleta como instrumento rumo a um desenvolvimento sustentável e explanação sobre a Rio+20

O que já tá rolando: Já sairam bondes de Alagoas, Brasília, Curitiba e São Paulo. Todos rumo ao Rio de Janeiro dando o seu recado no caminho!!

Como acompanhar?
- Blog: bicicletadanacional.wordpress.com
- Twitter+fotos: @BNR20 / @jpmamaral / @bikeanjo

2) BIKE ATIVIDADES NA INVASÃO HACKER COMPLEXO DO ALEMÃO
O que: Oficina de aprender a pedalar e Oficina de mecânica para reforma de bikes

Quando: 17/06 (Domingo) a partir das 10h

Onde: Praça do conhecimento - Nova Brasília - Complexo do Alemão

Como acompanhar?
- Twitter: @BNR20 /@bikeanjo / @jpmamaral

3) WORLD BIKE RIDE @ RIO+20
O que: Pedalada Mundial durante a Conferência da Rio+20

Quando: 21 de junho às 20h00

Onde: Cinelândia (Praça Floriano)

Mais informações: aguarde em breve lançamento do site rioplusbike.org.

Veja mais informações no camelo urbano, e mais novidades por aqui.

Até lá e até o próximo...

sexta-feira, 8 de junho de 2012

II Seminário sobre Mobilidade Urbana Sustentável de Niterói

Divulgando, um evento exemplar na cidade de Niterói:



Programação:


MANHÃ (ABERTURA: 09:00h)

Boas Vindas: Sergio Marcolini – Presidente da NITTRANS.
Cristina Monnerath – Secretária de Urbanismo (PMN).
Com A Palavra: Bernardo Baranda- ITDP (Diretor para América Latina): 09:45h

Palestra: A Cidade Somos Nós. 10:00h
Palestrante: Jessica Morris (ITDP).

Os 8 Princípios Para Mobilidade Urbana:

1. ANDAR A PÉ: desenvolver ambiência urbana que estimule o caminhar
• Diminuir a largura das ruas a atravessar;
• Enfatizar a segurança e o conforto do pedestre;
• Incentivar atividades ao rés-do-chão e criar espaços públicos adequados à convivência e ao relaxamento.

2. USAR A BICICLETA: priorizar redes de ciclovias e ciclo faixas
• Desenhar ruas que propiciem conveniência e segurança para o ciclista;
• Providenciar estacionamento seguro para as bicicletas públicas e privadas.

3. CONECTAR: criar sistemas compactos de ruas e caminhos
• Criar redes densas de ruas e travessas com alta permeabilidade para pedestres e bicicletas;
• Criar vias de alta capacidade para carros assim como passagens e áreas verdes para estimular o transporte não motorizado.

4. TRANSPORTAR: Prover transporte coletivo de alta qualidade
• Garantir um serviço de transporte freqüente, rápido e direto;
• Estabelecer, no mínimo, um corredor de alta capacidade com linhas exclusivas para o transporte público que estejam a uma distância alcançável a pé para 80% da população;
• Localizar estações de transporte, locais de moradia, trabalho e serviços que estejam a uma distância que possa ser percorrida a pé entre eles.

5. MISTURAR: Planejar o uso misto do espaço urbano
• Harmonizar moradia, comércio e serviços;
• Oferecer parques e atividades de lazer em espaços públicos ao ar livre.

6. DENSIFICAR: estabelecer correspondência entre densidade urbana e capacidade do sistema de transporte
• Adaptar a densidade à capacidade do sistema de transporte;
• Maximizar a capacidade do sistema de transportes planejado.

7. COMPACTAR: Criar regiões compactas, coesas e bem conectadas
• Reduzir o espraiamento focando o desenvolvimento em áreas já ocupadas ou a ela adjacentes;
• Fazer coexistir no mesmo espaço, trabalho e moradia para evitar deslocamentos desnecessários .

8. PROMOVER MUDANÇAS: Aumentar a mobilidade regulando o estacionamento e o uso das vias
• Reduzir o número de estacionamentos para desestimular o uso de automóveis particulares nos horários de pico do trânsito;
• Ajustar a cobrança de taxas pelo uso do automóvel segundo hora do dia e destino.

Coffe-Break 10:30h

PAINÉIS: Apresentação de Temas: 10:50h

1 - Transporte Por Propulsão Humana:
Condução: Zé Lobo (TA) / Warner Vonk (I-Fluxo) / Mauro Tavares (Rio Estado da Bicicleta)

2 - Gestão de Tráfego: 11:30h
Condução: Jonas Hagen (GIZ) / Bernardo Baranda (ITDP)

3 - Acessibilidade Universal e Desenho Urbano 12:00h
Condução: Luc Nadal (ITDP) / Vera Rezende (UFF) / Beatriz Vasconcellos (Secretaria de Urbanismo - PMN).

4 - Transporte Público: 12:30h
Condução: Willian de Aquino (ANTP) / Eva Vider (UFRJ).

Almoço 13:00 às 14:30h

TARDE 14:45h

Sala 01: Transporte Por Propulsão Humana.
Mediadores: Zé Lobo (TA) / Mauro Tavares (Rio Estado da Bicicleta) / Warner Vonk (I-Fluxo)

Sala 02: Gestão de Tráfego.
Mediadores: Jonas Hagen (GIZ) / Clarisse Linke (ITDP)

Sala 03: Acessibilidade Universal e Desenho Urbano.
Mediadores: Vera Rezende (UFF) / Luc Nadal (ITDP) / Patrícia Barros (Secretaria de Urbanismo – PMN)

Sala 04: Transporte Público.
Mediadores: Eva Vider (UFRJ)/ Nara Mothe (Sinergia)

Coffe-Break 16:45h

Assinatura do Convênio de Cooperação no Desenvolvimento de Ações nas Áreas do Transporte e Mobilidade Urbana entre a Prefeitura de Niterói e o ITDP.

Apresentação de Painéis Temáticos (AUDITÓRIO) 17:00h. 15 min por apresentação.

Término Previsto: 18:00h

Até o próximo...

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Bicicleta Dobrável BLITZ ALLOY - Avaliação - Review - Opinião do dono II

Tenho tido retorno muito positivo das pessoas sobre a série "opinião do dono", pois parece que tem ajudado muita gente a decidir e tirar dúvidas sobre as dobráveis.

Já postei aqui 3 artigos sobre algumas dobráveis, escrito por quem tem uma. Como a seção é colaborativa e de utilidade pública, a opinião de todos é válida.

Eu recebi 2 artigos sobre a Blitz Alloy, o primeiro foi publicado há algum tempo e agora publico o segundo, demorou mas saiu, desta vez a opinião do companheiro de Blog André Schetino.

domingo, 27 de maio de 2012

O passeio pró-ciclovia de 26/05/2012, como foi

Como vocês já devem ter visto, eu participei da organização e divulguei aqui o passeio que fizemos em 26/05/2012. Uma ação que visa chamar a atenção das autoridades, no Rio de Janeiro, sobre a necessidade de criação de uma infra-estrutura cicloviária na macro região de Laranjeiras.

Escrevo este post para falar como foi o passeio para quem não esteve lá.

A concentração no Largo do Machado é sempre um ambiente ótimo para conversas e contatos com muita gente boa. Além disso, tivemos presença da imprensa, que é muito importante para ajudar na divulgação da demanda. Estavam lá a Band e O Globo.

Veja a matéria publicada no G1. É verdade que a matéria deles não narrou corretamente o que foi o passeio, mas a divulgação em si já foi bem importante.

Várias pessoas e entidades importantes participaram: Passeio Completo, Cidades em Transição, Bike Anjo, Transporte Ativo, Moradores da Região, Cyclophônica e mais tantos outros que peço desculpas se omiti aqui.

Contamos cerca de 100 pessoas, entre ciclistas, pessoas que acompanharam e apoiaram o passeio.

De um modo geral, os motoristas foram bem educados e as pessoas ao longo do caminho perguntavam e apoiavam o movimento.

Seguimos pela rua das Laranjeiras, entramos  no Parque Guinle, demos a volta continuamos, entramos na General Glicério, demos uma parada na Feira, voltamos às Laranjeiras, subimos até a praça do Bondinho no Cosme Velho, voltamos e finalizamos o passeio na Praça Ben Gurion, onde recolhemos assinaturas no abaixo-assinado solicitando a infra estrutura e onde pleiteamos que seja implantada uma estação do Bike Rio, já que o projeto original - de instalar na General Glicério - foi cancelado.


Esta foto é do álbum de Ciclovias Invisíveis, no Facebook.

Mais uma foto, da matéria que saiu no Jornal Metro Rio:



Veja ainda a Matéria que saiu no Jornal Band Rio.

Bem, está só mais uma ação de tantas que faremos até conseguirmos alcançar nosso objetivo, nós vamos continuar! Participe, apoie, mude o seu mundo!

Até o próximo...

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Em 26/05, passeio ciclístico pró-ciclovia em Laranjeiras

A gente faz um monte coisa para tentar fazer a nossa vida melhor.

Uma delas é tentar melhorar a vida das pessoas de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, fazendo barulho para conseguir criar uma infra-estrutura cicloviária na região.


Já fizemos várias coisas: passeio ciclístico, panfletagem, contagem de ciclistas e agora estamos fazendo mais um evento, mais um passeio ciclístico para chamar a atenção de todos para a demanda.

Vão estar presentes:
Concentração no Largo do Machado a partir das 11h, depois partimos para a feria na General Glicério, e de lá para a praça Ben Gurion (a praça do chafariz parado em frente ao Itaú). Lá teremos tendas temáticas e muito bate papo sobre bikes.
Tentaremos também chamar a atenção para a colocação de uma estação do Bike Rio nesta praça. Promessa não comprida do projeto.

Vá também e ajude a mudar o nosso mundo!
Nos vemos lá!

Até o próximo...

terça-feira, 8 de maio de 2012

A Lei Seca e as bicicletas elétricas - parte II

Este é um post de continuação, o anterior estava ficando longo...

Pois bem, uma vez que expus os detalhes técnicos das e-bikes, vou falar agora sobre a realidade sobre elas, sobre o dia a dia das cidades com estes veículos.

Estamos vivendo uma onda de "Eco-corretos", um monte de gente preocupada com o meio ambiente e pensando em ações em prol de uma vida mais saudável.
Eu sou um deles.
Mas como somos seres humanos, há distorções para tudo.

O veículos elétricos surgem num momento que há uma grande preocupação com o meio ambiente, muita gente vê estes veículos como uma alternativa de transporte motorizado que "polui menos" e se engaja na causa "Eco-correta".

As e-bikes vem neste bojo, reforçada pela ideia de que a bicicleta é uma ótima opção para melhorar a vida das pessoas nas cidades de hoje e de amanhã.

Então as e-bikes parecem perfeitas: duplamente ecológicas! Não é?

Bem, nós brasileiros aprendemos que "é importante levar vantagem em tudo, certo?", e assim se viu uma ótima oportunidade de negócio nesta coisa de "bicicleta elétrica".

Eu tenho visto por aí empresas vendendo as e-bikes como o transporte do futuro: além de ser uma ótima "alternativa econômica", pois é uma "moto que não precisa de habilitação, não paga IPVA, e não consome combustível", está na moda, pois você "faz bem ao meio ambiente".
Que coisa linda!

Sobre fazer bem ao meio ambiente, já vimos que as baterias de chumbo são - na verdade - verdadeiros venenos.

Confesso que - quando ouvi falar delas pela primeira vez - pensei:
- "Nossa, isso vai ser uma coisa boa, porque tem tudo para ser a transição de pessoas que gostariam de usar bicicleta como meio de transporte, mas não se sentem preparadas para pedalar! Começam com as e-bikes e aos poucos migram para as bicicletas!"

Eu até soube de gente que fez mesmo esta transição, mas isso é uma rara exceção. O perfil dos compradores das e-bikes é composto basicamente de pessoas sem experiência em pedalar, que não estão de fato preocupadas com o meio ambiente e que não seriam capazes de controlar habilmente uma bicicleta a 30 Km/h.
E creiam, manter uma bicicleta em movimento a uma uma velocidade constante de 30Km/h não é tarefa para qualquer um!

Outra: existem pesquisas que mostram que uma parcela irrisória das pessoas que usam bicicletas como meio de transporte, o fazem por causa do meio ambiente. Não tenho o número aqui, mas é algo próximo de 5%.
Se para as bicicletas o número é tão baixo, imaginem para as e-bikes!

Por conta disso o que temos visto aqui no Rio de Janeiro é o início de uma profusão destas e-bikes transgredindo todas as regras de boa convivência social:
  • Andam na contramão
  • Andam sobre as calçadas
  • Andam em ciclovias
  • E acima de tudo: em velocidade acima da média dos outros modais em em seus respectivos meios
Elétrica: da ciclovia para a faixa de pedestres (imagem do RJTV).

Tomara que a imagem acima não inspire o prefeito a equiparar as e-bikes a pedestres!

Vejam, as bicicletas já não devem - pelo CTB - andar nas calçadas ou na contramão (nem faixa de pedestres!). Imaginem como deveriam se portar estas e-bikes, que possuem propulsão por motores!

Eu tenho visto muitas transgressões e desrespeitos, aliás, é difícil narrar alguma vez que vi uma e-bike numa situação regular! E nem estou sendo legalista, é apenas uma questão de convívio social e coletividade!

É cada vez mais comum eu estar andando na calçada com meu filho de 4 anos e dar de cara com uma destas, forçando para passar a uma velocidade incompatível com a via.
Reclamar?
Com quem? Com a prefeitura - ignorante  - que acha que isso é bicicleta?
Baseado em que legislação?
Baseado em que princípio de convivência?

Bicicletas também andam nas calçadas - não deveriam, baseadas no CTB, mas essa é outra discussão. Entretanto, em quase todas as vezes que isso acontece é possível interagir com o ciclista e argumentar - caso se aplique, pois quase sempre a velocidade é mais compatível com a via.

Em contrapartida, em relação aos e-bikers, a observação é diferente: quase 100% deles anda na calçada E na contramão. E pior: agora, com o decreto do prefeito (veja abaixo) que acha que ciclo-elétrico é bicicleta, eles creem que podem andar nas ciclovias!

Enfim, os usuários das e-bikes aqui no Rio de Janeiro estão abusando muito. Isso precisa ser regulado de verdade, tecnicamente. E punido!

Se encararmos que as e-bikes devem se portar como bicicletas, elas então devem andar na rua e na mão dos carros, e se encaramos que devem se portar como ciclo-elétricos devem andar nas ruas e na mão dos carros!

Portanto, a farra precisa acabar!
...
Enquanto escrevia este artigo, o prefeito do Rio de Janeiro publicou um decreto igualando as e-bikes às bicicletas. Tudo bem, a ignorância faz parte do ser humano, como já disse um amigo meu: "não se apoquente, burrice e ignorância é coisa que só dá em gente".

O link para o decreto e a notícia está aqui, mas em resumo: ele equipara estes ciclo-elétricos a bicicletas, de tração humana. Pelo decreto estas motonetas não podem passar de 20km/h nas ciclovias.
Mas ele esqueceu de dizer se teremos - a partir de agora - pardais nas ciclovias, ou se deveremos andar com nossos próprios radares de mão.

É uma pena, uma cidade que é "amiga da bicicleta" liberar o trânsito de motonetas em ciclovias.
Mas estamos em ano de eleições...
...
Depois de tudo isso você deve estar achando que eu sou contra as e-bikes, não é?

Bem, devo dizer sou contra encará-las como bicicletas, porque não são. As e-bikes tem motor. Ponto.
Por possuírem motor estão mais próximas de ciclomotores do que de bicicletas, que só são movidas por tração humana.

Sou também a favor de diferenciar os tipos de e-bikes: as aceleradas são claramente diferentes das assistidas, pois estas só andam quando pedaladas e possuem limitador de velocidade quando assistidas. Sou a favor de que tomemos como exemplo o que é feito na Europa.

Mas acima de tudo: sou contra encará-las como produtos ecologicamente corretos, pois também não são: a energia gasta para produção das baterias é grande e não se tem estudo definitivo provando que o gasto energético é "mais ecológico". Pelo contrário existem estudos em andamento que mostram o contrário.
As baterias são poluentes e não são recicláveis de fato, principalmente no Brasil. A baterias de chumbo então são lástimas, verdadeiros venenos.

Algo semelhante aconteceu com a indústria que achava - no passado - que o plástico seria a solução do futuro. Hoje sofre para saber o que fazer com as sobras.

Enfim, eu sou um ativista do compartilhamento, não da segregação, portanto acho que deve haver espaço para todos. Mas não podemos tapar o sol com a peneira, preparando o mundo apenas para o mais forte. O mundo não pode ser dos motores, deve ser das pessoas!

Há poucos dias me relembraram das frases de Mário de Andrade: "as pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos" e "meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa".

Como ele, eu queria mesmo é me embrenhar nos conteúdos, não nos rótulos!

Até o próximo...

PS: Quer ver como o decreto é "democratista"? dê uma olhada nesta matéria do RJTV

PS2: Agradeço mais uma vez às informações do Zé Lobo da T.A., do Arlindo, Cristiano e vários da lista da Bicicletada RJ. Que não necessariamente concordam com tudo que escrevo aqui, mas muito me ajudaram.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A Lei Seca e as bicicletas elétricas - parte I

Há poucos dias ocorreu aqui no Rio de Janeiro uma situação inusitada: um rapaz que andava em uma "e-bike", também conhecida como "bicicleta elétrica", foi parado pela operação da Lei Seca e foi multado, além de ter seu veículo recolhido para o depósito.

Este artigo não é para falar sobre este acontecimento, para não ser enfadonho, vejam detalhes aquiaqui e aqui.

Na verdade a ocorrência foi importante porque trouxe à tona uma discussão que mais cedo ou mais tarde deveria surgir:
- "e-bikes" devem ser encaradas como bicicletas ou como ciclomotores/ciclo-elétricos?

Tem havido muita discussão nas redes sociais sobre o tema. Alguns tantos defendem que "a bicicleta é um veículo legal e deve ser incentivado". Outros dizem que "isso não é bicicleta, deve haver uma legislação específica sobre isso".

Eu vou aqui expor meu ponto de vista, elucidando-o com algumas referências técnicas e com um pouco de minha observação e experiência. Mas antes vamos conhecê-las. Passarei a chamá-las de "e-bikes" e as bicicletas ... de bicicletas ;-).

Sobre a propulsão:

Acelerador de uma e-bike

Em relação ao tipo de propulsão, existem 2 tipos de tipos de e-bikes: 1) As aceleradas. As que possuem acelerador, e funcionam portanto, como uma moto. 2) As assistidas. As que possuem apenas assistência elétrica na pedalada. Nestas, o motor só é acionado com a pedalada e funciona basicamente para auxílio em subidas.

As do grupo 1 são as que vemos aqui no Brasil. As do grupo 2 tenho poucas referências delas por aqui. Ouvi dizer que existem, mas "nunca vi, não comi, eu só ouço falar". Na Europa elas são chamadas de PEDELECS. Estas ainda possuem a vantagem de possuir a "velocidade controlada" (se ultrapassar uma velocidade X o motor é desligado e tração passa a ser só "humana").

Painel de uma e-bike estilo PEDALEC

As e-bikes do grupo 1 possuem pedal, de forma que podem também ser "pedaladas". Por isso é que há tanta discussão sobre o fato de serem ou não bicicletas. Posteriormente vou mostrar alguns modelos para que você pense sobre isso.

Existem ainda algumas motonetas com motor elétrico (não a combustão) que não podem ser chamadas de e-bikes ou bicicletas, porque não tem pedal. Estas estão excluídas desta análise.

Sobre as baterias:
Existe ainda um outro tipo de classificação das bicicletas elétricas: pelo tipo de bateria. Inicialmente elas eram de Chumbo, pesadas e perigosas, pois são venenosas. Hoje elas já estão sendo substituídas pelas de Lítio.

As baterias de Chumbo são proibidas na Europa. Na China há muitos casos de morte por envenenamento. No Brasil não há uma legislação específica sobre isso.
Elas duram pouco e não há política correta para descarte, o que causa irremediavelmente contaminação e envenenamento. Estes problemas são MUITO GRAVES!

Bateria de Chumbo

As baterias de Lítio são mais leves, tem maior durabilidade e não causam o mesmo dano ao meio ambiente.

Bateria de Lítio

No Brasil ainda existem muitas e-bikes com baterias de Chumbo. Ou seja, perigo!

Sobre a estrutura:
Por conta do peso extra do conjunto bateria/motor/reforços, uma e-bike não consegue ter o peso de uma bicicleta, as e-bikes mais leves pesam mais de 20 Kg. É preciso pensar que o peso extra representa mais dificuldade para parar. Portanto uma pessoa acelerando uma e-bike a 30Km/h tem naturalmente muito mais dificuldade de pará-la do que uma pessoa pedalando uma bicicleta.

Sobre a Legislação:
O Código de Trânsito Brasileiro (CTB), quando escrito não tratava ainda destes veículos com motor elétrico, portanto eles não estão classificados lá, o que causa até hoje muita confusão sobre como eles devem ser encarados.

Como a sociedade avança, muitas leis precisam se adaptar. No caso do CTB, quando há necessidade de alguma revisão, estas são feitas através de resoluções do CONTRAN, atualizando ou corrigindo o que é necessário acerca do CTB.

Portanto, atualmente o que há de resolução sobre as e-bikes foi elaborado através da resoluções 315/2009 e  375/2010.
Em resumo: elas determinam que estas e-bikes que possuem motor de até 4000W (ou seja, TODAS) e tem velocidade final ATÉ 50Km/h são encaradas como ciclo-elétricos, equiparando-os portanto aos ciclomotores, de forma que sua legislação deve ser a mesma dos ciclomotores.
Em suma: a legislação destes veículos deve ser igual à dos ciclomotores. Mas a resolução de 2010 transfere para os municípios a organização final de como eles devem ser tratados.

Sob o ponto de vista de alguns especialistas, enquanto um município não definir uma lei específica sobre as e-bikes, andar com elas deve ser proibido. (!)

Como o mundo das leis é bem mais obscuro do que o mundo real, algumas leis sofrem vista grossa das autoridades, assim, as pessoas vão acelerando as e-bikes enquanto as leis não vem e todo mundo fica quietinho em seu canto, até alguém ser cutucado.

No caso do Rio de Janeiro, qualquer veículo elétrico é proibido de circular nas ciclovias, mas muitas leis não são cumpridas ou mesmo são desconhecidas.
Porém, como o Rio de Janeiro é uma cidade amiga da bicicleta - o prefeito foi cutucado pela operação da lei seca multando o meliante que condizia uma e-bike (conforme links no início deste post) e hoje ele disse que na próxima segunda baixará um decreto tratando especificamente destas e-bikes.

Vamos ver o que vem por aí... Chega dar medo!

Bem, este post está grande a inda tenho bastante a falar, pois ainda não deixei clara minha opinião sobre elas. Portanto vou continuar este assunto na sequência.

Até lá...

PS: Você pode ler um pouco mais sobre o mesmo tema no Blog DE BIKE I e DE BIKE II. Sugiro principalmente a leitura do artigo no Blog da T.A.: Uma confusão elétrica.

PS2: Agradeço às informações do Zé Lobo da T.A., do Arlindo, Cristiano e vários da lista da Bicicletada RJ.

PS3: Para deixar uma imagem na memória, você acha que isso é uma bicicleta?
Quem vende, diz que é. Será que é porque tem "pedal"?

sábado, 3 de março de 2012

Bicicleta no Jornal da Band - Quinta 01/03/2012

Dando continuidade à série e contribuindo para o mundo das magrelas, a matéria de quinta.

Não consegui publicar a matéria na sexta, pois até o final do dia ela não estava disponível no site da Band.

O Tema do dia é: Exemplo de cidades e suas infraestruturas cicloviárias.

Aqui vai a quarta matéria da série sobre bicicletas publicada no Jornal da Band nesta semana de 27/02/2012 a 03/03/2012.

Veja a matéria abaixo:


Como não encontro o link na página da Band, só dá para ver aqui mesmo.

Você pode ver a série completa através do marcador Vou de bicicleta.

Até o próximo...

Bicicleta no Jornal da Band - Sexta 02/03/2012

Continuação da série do Jornal da Band.

Tema do dia: Bicicleta Diverte e Une a Família. A bicicleta como lazer.

Veja a matéria abaixo:


Ou acesse diretamente o Link na página da Band.

Veja a série completa através do marcador Vou de bicicleta.

Até o próximo...

quinta-feira, 1 de março de 2012

Bicicleta nas BARCAS Rio/Niterói de graça!

Houve uma boa divulgação nas redes sociais e nas listas de discussão sobre a inauguração do bicicletário na Praça XV, no Rio de Janeiro.

Na ocasião da inauguração, pessoas envolvidas com o universo das bikes estavam lá e o companheiro Arlindo Pereira mandou para nós um relato resumo de tudo que aconteceu.

A parte que cito aqui é a que fala sobre as Barcas (Publicado com a devida autorização dele):

"Falando sobre as Barcas, mais especificamente sobre as bicicletas nas barcas, antes do bicicletário: na primeira entrevista, o secretário de transporte Julio Lopes disse estar fazendo um acordo com as Barcas S/A permitindo, em breve (não deu prazos):

1) Embarque gratuito de bicicletas (normais, não dobráveis) fora do horário de pico (de 11h às 16h, não me lembro dele ter comentado sobre o horário noturno);
2) Embarque gratuito de bicicletas (normais, não dobráveis) no horário de pico no sentido de contra-fluxo, isto é, Rio-Niterói de manhã e Niterói-Rio à tarde."


Estou fazendo esta introdução para falar sobre uma coisa boa que aconteceu hoje, nas Barcas, sentido Rio Niterói em meu trajeto diário para o trabalho:

Ao me levantar para o desembarque vi um conjunto de bicicletas aglomeradas (umas 12). Descobri que eram turistas alemães guiados pela turma da Terra Brasilis.

Fotos do grupo reunido hoje nas Barcas:




Me aproximei, assuntei e perguntei se haviam pago para atravessá-las, pois tinha ouvido falar que talvez a partir de hoje elas já não pagariam.

A Silvia - responsável pelo grupo - disse que houve uma confusão: ela foi direto pagar, mas ao passar com as magrelas foi abordada pelo Júlio Lopes (!!!!!) (Secretário de Transportes do RJ), perguntando se ela pagou pelas bikes, pois a partir de hoje as Barcas já não poderiam cobrar por elas em algumas circunstâncias (baseado no acordo citado acima).
Na confusão ela disse que não sabia, havia dúvida ainda nos funcionários e - segundo ela - foi ressarcida pelo dinheiro gasto.

Ao sair da Barca, mais novidades: um grupo de pessoas filmando e fotografando, todos foram abordados - inclusive eu - um deles pediu para fazer fotos comigo.

Perguntei o que era aquilo, eles informaram que eram da secretaria de transporte, que o Júlio Lopes falou com eles do grupo que chegava e queria fotografá-los para oficializar a não cobrança das bicicletas no contra-fluxo do horário de Rush (exatamente como o Arlindo narrou acima).

Portanto, agora é oficial: As bicicletas não pagam mais fora do horário de pico nem nos horários de pico em fluxo contrário. Isso vale para as bicicletas "normais", pois as dobráveis já não pagavam mesmo.

Eu preciso fazer muito alarde sobre isso, pois - além de já ter reclamado muito desta cobrança em todos os lugares, esta é uma briga longa e antiga de muita gente envolvida com as bikes.

Enfim, Vitória! Feliz Vitória das Bicicletas!

Bem, se alguém for cobrado, é por falta de informação de algum funcionário, não deixem passar, informem da mudança e não vamos mais pagar!

Vamos divulgar e usar!

Este post segue em tom de comemoração!

Até o próximo!

Bicicleta no Jornal da Band - Quarta 29/02/2012

Depois que me envolvi no mundo das bicicletas de cabeça comecei a entender melhor muitos sistemas que antes cria conhecer.

O principal deles é o sistema de mobilidade urbana.

Antes  - como todos - eu olhava para o mundo pela ótica dos carros, achava que a rua era deles e criticava o governo que não criava mais vias e estacionamentos.
Hoje estudando a mobilidade no mundo, aprendi que as cidades não foram feitas para os carros, mas para as pessoas. Percebi até - e isso parece engraçado - que os carros também são criados para as pessoas!

Enfim, aprendi que os espaços públicos precisam ser compartilhados.

A matéria da band da série "Vou de bicicleta" de ontem cometeu algumas gafes na edição que precisam ser retratados:

  • A bicicleta NÃO ESTÁ OCUPANDO O ESPAÇO DOS CARROS NA RUA, ela ocupa o espaço reservado par as pessoas, a rua não é mais dos carros que das bicicletas ou motos, ou outros veículos.
  • A sensação de insegurança que algumas pessoas tem é decorrente de quem não está vivendo o espaço, de quem não pedala nas ruas, de quem vive dentro das gaiolas. Semelhante às pessoas que vêem a violência de grandes cidades pelas janelas da TV e tem medo destas cidades sem estar lá.
  • O nosso Código de Trânsito (CTB) é bastante avançado, as pessoas precisam é ser verdadeiramente preparadas. Ele prevê que as bicicletas DEVEM andar nas ruas, que deve haver uma ordem de prioridade: pedestre - ciclista - moto - carro - veículos de grande porte. O maior DEVE cuidar do menor, NÃO INTIMIDÁ-LO!
  • Não há nenhuma cidade do mundo que possua ciclovia em todas as suas vias, nem mesmo Amsterdã ou Copenhagem! "Não se pode andar de bicicleta porque não tem ciclovia" é o discurso das pessoas que só andam de carro e querem que as bicicletas saim da frente para eles passarem.
  • Ou seja: É perfeitamente possível andar nas cidades sem ciclovias se algumas regras básicas de conduta forem seguidas e - acima de tudo - se as bicicletas ocuparem as ruas! Não devemos dar ouvidos aos motoristas que querem as ruas só para eles!
Eu ando de bicicleta diariamente numa cidade que não é tomada de ciclovias (mas tem quase 300 Km delas!)., ando no trânsito com segurança, sei que isso é possível e incentivo as pessoas a fazerem o mesmo.

E vou dizer a verdade: não sinto falta de ciclovias, sinto falta de respeito das pessoas!

Enfim, a série é ótima para a divulgação das bicicletas, mas devemos tomar cuidado com a fonte das informações, muita gente ainda fala besteira sobre o tema, sem pesquisar ou estudar o assunto sob a ótica de quem usa a bicicleta.

Ou seja, para falar sobre mobilidade urbana, as pessoas TEM QUE SAIR DE DENTRO DOS SEUS CARROS!

A matéria de ontem:


Ou acesse diretamente o link da página da Band.

Veja a série completa através do marcador Vou de bicicleta.

Até o próximo...

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Bicicleta no Jornal da Band - Terça 28/02/2012

Conforme prometido, aqui vai a segunda matéria da série sobre bicicletas publicada no Jornal da Band nesta semana de 27/02/2012 a 02/03/2012.

Tema do dia: na matéria de ontem o destaque foi o projeto Bike Anjo, do qual sou voluntário.

Veja a matéria abaixo:


Ou acesse diretamente o link na página da Band.

Não deixe de acompanhar a série que vai ao ar todos os dias desta semana no Jornal da Band, às 19:30.

Veja a série completa através do marcador Vou de bicicleta.

Até o próximo...

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Bicicleta no Jornal da Band - Segunda 27/02/2012

Uma ótima informação para nós: a Band (emissora de TV) faz esta semana uma série de reportagens sobre a bicicleta.
Vai ao ar todos os dias desta semana, no Jornal da Band, às 19:30.

O amigo Carlos Aranha - um dos fundadores do projeto Bike Anjo, de São Paulo - havia avisado sobre a série, que estava prometida para algumas semanas atrás, mas ainda não tinha saído. Nesta semana saiu mesmo.

O Tema da abertura da série: O Brasil de (mais de) 60 milhões de bicicletas.

Veja a matéria de ontem aqui:


Ou acesse diretamente o link na página da Band.

Apenas uma pequena correção sobre o conteúdo acima, alertado pelo Zé Lobo da Transporte Ativo:
"Só pra complementar, o título da série fala em 60 milhões de bicicletas.
Mas estes são dados de 2005 da abraciclo. Fabricando 5 milhões ao ano, hoje
temos mais de 90 milhões de bicicleta"

Hoje, continuando a série, falam do projeto Bike Anjo, vale conferir!

Para contribuir, vou postar aqui diariamente cada uma das matérias. Veja a série completa através do marcador Vou de bicicleta.

Até o próximo...

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O 1° Fórum Mundial de Bicicletas em POA

Eu fiz um pequeno post aqui para divulgar o evento, que acontece em Porto Alegre, entre os dias 23 e 26 de fevereiro de 2012.


À época da divulgação, ainda não havia muita informação e post era apenas para divulgá-lo mesmo, mas agora temos mais informações.

Aqui volto para falar do evento e reforçar o convite, além de divulgar a oficina promovida pelo amigo Renato Zerbinato: Massas Críticas no Brasil: experiências, conquistas e perspectivas.

O Fórum é um evento em que serão discutidos os futuros das cidades e o papel da bicicleta neste futuro.
Tem muita gente boa participando, gente envolvida, participativa, que faz o mundo roda melhor, sobre uma bicicleta.

Se você puder ir, não perca!

Um coisa importante sobre a data do evento: neste período se completa 1 ano que a bicicletada de POA foi atropelada intencionalmente pelo Ricardo Neis. Caso que teve repercussão internacional, mas que até agora não está resolvido.
Tudo indica que querem deixar cair no esquecimento e deixá-lo impune.
É triste!

Casos de impunidade como este estimulam outros loucos a fazerem coisa semelhante, como aconteceu em uma bicicletada aqui no Rio de Janeiro.

Enfim, não vamos deixar a peteca cair, nem deixar a as atrocidades caírem no esquecimento!

VAMOS CONTINUAR FALANDO ALTO!

Veja mais informações sobre o evento aqui.

Até o próximo...

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Bicicleta Dobrável BLITZ CITY - Avaliação - Review - Opinião do dono

Há poucos dias publiquei o primeiro artigo da série "Opinião do dono", sobre a DURBAN METRO. A ideia é fazer artigos com a opinião de quem tem uma bicicleta dobrável, para ajudar aos que desejam ter a sua.

Bem, pedi ajuda a amigos e companheiros que possuem uma dobrável. Fiquei imensamente feliz com a receptividade de todos e muitos se propuseram a ajudar.

Aqui sai então o primeiro artigo de um destes companheiros que dedicou seu tempo a nos ajudar, passando suas impressões sobre a sua dobrável.

Seu nome é João Rodrigo Campos e possui um Blog também sobre bikes: joaozinhomenininho.blogspot.com. Vale a pena visitar!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Bicicleta Dobrável DURBAN METRO - Avaliação - Review - Opinião do dono

Muita gente tem me pedido dicas sobre qual bike comprar, e eu muitas vezes indico uma dobrável. Vejo ainda que os artigos mais acessados aqui são exatamente os que falam sobre estas bicicletas.

Como é muito difícil encontrar referências por aí, decidi então, por conta própria fazer testes em algumas e postar aqui para ajudar as pessoas a escolher.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Vídeo do pós-incidente de outubro disponível

Amigos,

Para quem não sabe, no passeio da bicicletada de outubro, um ciclista foi atropelado. Tudo indica que o motorista jogou o carro sobre o ciclista, mas o vídeo não deixa isso claro. Me baseio nos relatos dos amigos que estavam lá. Pessoas idôneas que confio.
Mas, a julgar pela nossa justiça, e o policiamento ideológico, se disser que foi intencional, corremos o risco de sermos processados, não a pessoa que jogou o carro sobre uma bicicleta.

É, este é o mundo dos homens...

Bem, nasceram vários posts sobre isso em vários Blog, aqui postei 2:

- Mais um ciclista atropelado por carro no RJ, em um evento que promove as bicicletas!
- Mais um ciclista atropelado por carro no RJ, relato de quem estava lá

No primeiro post publiquei o vídeo do companheiro Eduardo que estava lá e filmou tudo. Mas os advogados do motorista atropelador intimaram o Eduardo a retirar as imagens do cliente do vídeo.
Eduardo retirou o vídeo do ar para editá-lo, atendendo às solicitações. Agora, após editado, o vídeo está de novo disponível e publico aqui.


Eu já fiz muitos comentários indignados sobre esta atitude do motorista, mas agora vou resumi-los ao seguinte: espero que a atrocidade sirva de exemplo para que as pessoas tenham mais respeito, educação e tolerância com os outros.

No que depender de mim, eu vou continuar fazendo minha parte para meu filho viver num mundo melhor do que esse.

Até o próximo...

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...