terça-feira, 29 de novembro de 2011

Como funciona o Bike Rio - Sistema de aluguel de bicicletas públicas no Rio de Janeiro

Você já ouviu falar disso, né? Se não sabe o que é, dá uma olhada aqui: Samba, o sistema de aluguel de bicicletas Bike Rio

Eu vou deixar claro: estou aqui para defender a ideia! Porque a gente quer mesmo é que as bicicletas invadam as cidades!
Se você entrar lá no site vai entender como funciona, mas eu vou falar dele aqui de uma forma diferente: de quem usa bicicleta e sabe como ela pode ser útil nas horas que você nem esperava.

Tem rolado muitas discussões por aí sobre o sistema, pessoas dizem que "nem se compara ao de Paris", ou que "é apenas coisa para turista, pois só tem na Zona Sul da cidade".
Olha, eu fiquei otimista e feliz com a inauguração do sistema, principalmente depois que vi - no fim de semana de inauguração - um monte das laranjinhas circulando pela cidade, foi uma grata surpresa!

Poxa, vamos pensar: imagine você circulando pela cidade, precisando se deslocar de um canto para outro, e de repente você dá de cara com um bicicletário destes e pensa: "caramba, bem que eu podia pegar uma bike dessa e ir para onde quero, além de agradável e prático, eu ia ganhar muito tempo". Pois foi exatamente o que aconteceu comigo ontem:

Eu estava no Leblon - por volta das 18:30 - e precisava ir para o centro, estava a pé.
Rodei por uns pontos de ônibus, desanimado porque teria que dar a "volta ao mundo" neles. Até "metrô na superfície + metrô" era alternativa ruim, por conta de paradas, baldeação e tempo de deslocamento.
De repente - sem mais nem menos - vi que estava em frente a uma estação destas bikes e podia pegar uma para me deslocar até a estação botafogo para de lá pegar o metrô (por enquanto as estações do centro ainda não estão inauguradas, senão dava para ir até lá!).

Putz que maravilha, é isso! Pensei.
Putz, que pena, não comprei o passe! Retruquei.
Sabe o que foi a primeira coisa que fiz hoje?
...
O óbvio eu vou responder: comprei o passe e instalei o aplicativo em meu telefone.

Então: é para turistas não! É um sonho de consumo!


Este trecho acima é réplica de um e-mail que enviei para uma lista de discussão sobre o tema.

Portanto eu venho, divulgo e incentivo: parem para pensar como pode ser útil a você! Aproveite que está numa cidade que lhe dá esta oportunidade!

Eu dou um resumo do funcionamento, é bem mais simples do que imagina:


  • Você compra um passe de 10 reais (preço fixo) lá no site http://www.mobilicidade.com.br/bikerio.asp, este passe tem validade de 30 dias.
  • Ao pegar a bicicleta você tem 1 hora para pará-la em uma outra estação, se passar de 1 hora você paga 5 reais, que é debitado de seu passe. Se usar por menos de 1 hora, como bônus, você não paga nada (!), e depois de 15 minutos pode pegar de novo; aí recomeça todo o ciclo. Se você não devolver em 1 hora, é debitado 5 reais do seu cartão para cada hora de uso.
  • Este prazo de 1 hora é para estimular mesmo a rotatividade do sistema.
  • Para retirar a bicicleta, basta chegar na estação, ligar para a central e pedir para desbloquear uma para você. Mas existe uma aplicação que roda nos celulares, que - com ela - você desbloqueia a bicicleta sem precisar ligar para a central, além de dar o mapa das estações, informando quantas vagas e bicicletas disponíveis tem em cada uma, online!


Tela do aplicativo para celular

Eu fiz tudo em poucos minutos!

É coisa de primeiro mundo! Até ontem eu não tinha atinado para como isso pode ser útil, depois cheguei a pensar: - Nossa, como a gente pôde viver sem ter isso até hoje?

Apenas uma dica: para baixar o aplicativo, não faça pelo site Bike Rio, baixe direto pela loja (no caso do Android o "Android Market"), porque pelo site tá com BUG. Procure por "Mobilicidade Bike Rio".

Até o próximo...

5 comentários:

  1. Fiquei com inveja. Queria que tivesse um desses aqui em São Paulo.

    Aliás, parabéns pelo blog, Robson!

    ResponderExcluir
  2. Olá Fraprasem!

    Antes de tudo, obrigado pelas congratulações! Eu gosto de bikes e gosto de escrever, é bom ter feedbacks positivos.

    Sobre o sistema em Sampa: eu tenho muito contato com a turma daí, mas pouca presença na cidade. Eu escrevi este artigo meio por perceber que somos privilegiados aqui no Rio com a infraestrutura que temos numa cidade tão bonita.
    Eu adoro Sampa e torço para que a infra-estrutura cicloviária daí melhore também. Daqui eu faço um pouco de barulho - da forma que posso - para ajudar vocês.

    Estamos todos juntos nessa!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Escrevi minha experiência com o Bike Rio também. Espero que ajude outras pessoas:

    http://cleversonsacramento.com/2012/02/11/aplicativo-bike-rio/

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o seu post Cleverson!
    Valeu!

    ResponderExcluir
  5. Prezados senhores,

    o sistema quase só tem estações vazias. Quando há bicicletas, estão quebradas ou não são liberadas de jeito nenhum porque o sistema não detecta sua presença no local onde ela está presa. Divulgam que são 600 bicicletas para 58 estações. Deveria haver em média 10 bicicletas por estação: nunca vi mais que oito em nenhuma estação, nem a noite nem em dias de chuva. Por exemplo, ontem (29/12 por volta de 20:00) estava chovendo, mas, mesmo assim, a estação do Rio Sul só tinha três bicicletas. Eu tinha passado lá mais cedo e só havia uma bicicleta, com o cabo do freio quebrado. É um engodo, mesmo. Comprei o passe mês passado, já está expirando e só consegui usar três vezes, duas delas tendo de telefonar 4 vezes pelo celular para liberar uma bicicleta. Enfim, não pretendo renovar meu passe e não recomendo que ninguém entre nessa.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...