quinta-feira, 31 de maio de 2012

Bicicleta Dobrável BLITZ ALLOY - Avaliação - Review - Opinião do dono II

Tenho tido retorno muito positivo das pessoas sobre a série "opinião do dono", pois parece que tem ajudado muita gente a decidir e tirar dúvidas sobre as dobráveis.

Já postei aqui 3 artigos sobre algumas dobráveis, escrito por quem tem uma. Como a seção é colaborativa e de utilidade pública, a opinião de todos é válida.

Eu recebi 2 artigos sobre a Blitz Alloy, o primeiro foi publicado há algum tempo e agora publico o segundo, demorou mas saiu, desta vez a opinião do companheiro de Blog André Schetino.


...

Em julho de 2011 comprei duas bicicletas Blitz, modelo Alloy, para eu e minha namorada pedalarmos juntos. As bikes ficam no Rio de Janeiro, mas já fizemos duas viagens com elas (Petrópolis e Santa Maria Madalena, ambas no RJ). Abaixo, uma análise mais detalhada de nosso uso.

Modelo: BLITZ ALLOY
Aro: 20
Peso aproximado: 12,5 Kg
Número de marchas: 6 marchas (coroa simples e catraca com 6 velocidades)
Material do quadro: Alumínio

Tempo aproximado de uso: 7 meses

Kilometragem (aproximada): 400Km

Praticidade na hora de dobrar: O sistema de dobragem é simples e rápido, mas, na minha opinião, não muito eficiente. Isso, devido ao posicionamento do guidão, que não deixa a bike tão compacta quando dobrada. Nenhum problema no dia a dia, pra deixar em casa, ou no trabalho. Mas, no caso de uma viagem você vai perder um tempinho maior na dobragem pra deixá-la “no jeito” pra entrar no porta-malas do carro, ônibus etc.

Principais problemas/defeitos: O principal problema definitivamente é o material de alguns componentes, que são em ferro. Com quase 7 meses de uso, os protetores de cabo (próximos ao freio) bem como algumas peças dos sistemas de blocagens já estão enferrujados. Cabe ressaltar que as bikes estão no Rio de Janeiro, onde a maresia acelera o processo de ferrugem. Em breve pretendo trocar essas peças por outras de alumínio, se eu encontrar.
Outro ponto que merece atenção são as blocagens e regulagens do guidão, que tendem a apresentar pequenas folgas de tempos em tempos. Uma apertadinha na blocagem e tudo ok. Não sei isso acontece com outras dobráveis (experimentei apenas a Caloi Urbe, e não tive esse problema).

Pontos positivos: Definitivamente o preço. Acho que são as dobráveis mais baratas do mercado. Comprei as bicicletas em julho de 2011 e paguei por volta de R$ 758,00 em cada. Geralmente não encontramos esse preço nem em dobráveis sem marchas. Já veio reguladinha, só encaixei os pedais e pronto. Ainda não precisei de levar a nenhuma oficina, e olha que usamos e abusamos das bikes. Fizemos inclusive passeios por trilhas e estradas de terra, no último Encontro Nacional de Cicloturismo.

Pontos negativos: Por ser muito barata, a maioria das peças são de baixa qualidade. Peças pequenas como blocagens, protetores de cabos de freio e marchas são em ferro, e enferrujam logo. O selim é muito duro e desconfortável e pretendo trocá-lo. O pedal tem um bom sistema de dobragem, mas inspira cuidados por ser de plástico.

Avaliação geral/Considerações: Pesquisei bastante antes de comprar as bicicletas. Como comprei duas, meu principal limitador foi o preço. Apesar disso, não optei pelo modelo mais barato da Blitz, a City, pois além de não ter marchas o quadro é de aço.
Estou satisfeito com a bike e já recomendei o modelo para outros amigos, atentando sempre pro uso que se dará à bicicleta. Recomendo o modelo pra quem vai utilizar para deslocamentos (casa-trabalho etc.) e passeios pela cidade. Acho que as dobráveis são realmente indicadas para passeios, distâncias menores. Se quiser arriscar longas pedalas e até cicloviagens com elas, deve investir em modelos mais caros, com bons componentes e equipamentos. Sobre as marchas, uma dica importante. Praticamente não uso quando pedalo no Rio. Mas se sua cidade possui relevo mais acentuado, com subidas, acho as marchas fundamentais. O mesmo vale se você pretende viajar levando a bike pra alguma cidade com essas características. Nas duas viagens que fizemos, as marchas foram muito bem utilizadas, e responderam bem.

Fotos Extras: Como já temos outro artigo sobre esta bike, veja as fotos dela no primeiro artigo.

André Schetino é professor universitário e autor do blog Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta.

Companheiro André, desculpe pela demora. Muito obrigado!

Para ver todos os artigos da série, procure pela TAG "Teste de Bicicleta".

Até o próximo...

14 comentários:

  1. Oi, estava pesquisando sobre bike dobrável e o google disse para eu passar por aqui. Vou fazer uma pergunta que acho que já sei a resposta, mas apenas para ter certeza. Em uma bike dobrável tem como usar cadeirinha de criança? Tenho uma filha de 4 anos. Acho pouco provável que isso seja possível, mas se for, você sabe que modelo de cadeirinha seria mais adequado?

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá Anônimo,

    Eu posso responder com precisão porque já fiz este questionamento e pesquisei bastante sobre isso quando pensava na compra da dobrável.

    Na verdade não há cadeirinhas para dobráveis, estas bicicletas foram concebidas para ter um peso máximo de carga e sua estrutura dificulta muito o uso de cadeirinhas para crianças. No fundo, o próprio bagageiro não comporta carga de uma pessoa com segurança, mesmo sendo uma criança.

    Já vi adaptações, mas todas são perigosas, pois estamos falando de segurança de pequenos indefesos. Vi inclusive um artigo de um engenheiro da Dahon explicando o perigo destas adaptações. Portanto desaconselho profundamente.

    Nas pesquisas que fiz - ao desistir das cadeirinhas em dobráveis - cheguei a pensar em um usar um trailer semelhante a este: "http://vastate.wordpress.com/2008/12/11/of-winter-bikes/bicycle-trailer-4620h/", mas desisti pela falta de praticidade no dia a dia.

    Hoje tenho uma dobrável pela praticidade. Mas adquiri outra bicicleta bem simples, aro 26; a "bicicleta do ladrão", que uso para o dia a dia, onde posso trancá-la sem me preocupar com o "amigo do alheio". Uso-a para pequenos trajetos, para fazer compras e nela coloquei uma cadeirinha traseira para meu filho, de 5 anos.

    Seja bem vindo para vir sempre!

    Abraços,
    Robson Combat

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Robson,

      Obrigado pela resposta. Como eu imaginava, não dá. Eu usava uma Caloi 100 com cadeirinha traseira, mas o dono (o ladrão...)a levou. Pensei em comprar uma dobrável para facilitar guardar em casa, mas não queria deixar de ter a possibilidade de passear com minha filha.

      Estou estudando o que vou fazer. Estamos analisando as vantagens e desvantagens de comprar um convencional, elétrica e dobrável.

      A dobrável seria basicamente para ir ao trabalho (pelo menos parte do trajeto). Hoje em dia faço isso as vezes combinando bike de aluguel (laranjinhas) e ônibus. Mas a bike de aluguel nao dá para colocar cadeirinha (ou dá?). A elétrica seria para minha mulher usar em deslocamentos (ela aceita cadeirinha? Nunca vi ninguem usando com cadeirinha de criança).

      Nao pretendo comprar 3 (eletrica, dobravel, normal), no máximo duas. Então tenho que analisar qual melhor combinação entre elas e a de aluguel que me permitam ir para o trabalho, passear com minha filha e minha mulher, com o mínimo custo.

      Parabéns pelo blog. Muito bom.

      Excluir
    2. Olá Anônimo,

      Desta vez demorei na resposta, me perdoe.

      Sobre as cadeirinhas nas laranjinhas: não dá, porque o mecanismo que prende a cadeirinha à bicicleta precisa ser bem preso, portanto precisar ser fixo na bike.

      Já vi elétricas com cadeirinhas, aliás, algumas já vendidas com elas.
      Por falar nas elétricas, tome cuidado, dê uma lida nos 2 artigos que tenho aqui sobre elas para você ter noção de como comprá-las:

      - http://www.avidadebicicleta.com/2012/05/lei-seca-e-as-bicicletas-eletricas.html

      - http://www.avidadebicicleta.com/2012/05/lei-seca-e-as-bicicletas-eletricas_08.html

      Fique longe das que tem bateria de chumbo!

      Particularmente não sou partidário das e-bikes. Acho apenas que as assistidas podem ter alguma serventia; as aceleradas não, porque estas estão mais para ciclomotores que para bicicletas.
      E soube nestes dias que os seus usuários estão tendo um problema inusitado: quando fura o pneu não conseguem trocar, porque as bicicletarias não o fazem e as lojas de motos não sabem como fazer. Além de faltar equipamentos específicos no mercado (câmaras e pneus).
      Enfim, eu nunca indicaria a compra de uma elétrica...

      Obrigado pelos elogios!

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Robson, estou na Itália, pesquisando preços de bicicletas dobráveis. Encontrei, a um preço bem razoável, a Flex 20, by Mario Schiano. Já ouviu falar alguma coisa sobre ela? O objetivo é para pequenos passeios e retorno para casa em ladeira, que já subi com bicicleta normal com marcha.
    Dalton

    ResponderExcluir
  4. Dalton,

    Eu pesquisei e realmente não achei nada. Tem como mandar algum link com informações sobre ela?

    []s

    ResponderExcluir
  5. Dalton Mota de Barros28 de março de 2013 06:46

    Acho que não consegui enviar a 1ª vez. Se já tinha ido, desculpe-me. Este é o site da dobrável Flex 20, da Mario Schiano, que falei.
    Grato,
    Dalton
    http://shop.europrimo.it/index.php?main_page=product_info&products_id=1775&utm_source=kelkooit&utm_medium=cpc&utm_campaign=kelkooclick&utm_term=Bici+Bicicletta+Pieghevole+In+Alluminio+&from=kelkoo

    ResponderExcluir
  6. tenho 60 anos, preciso de uma bicicleta dobravel que seja confortável, a principio que seja aro 20 para cima, e não me importo tanto com o preço.
    você poderia me indicar a marca mais confortável?
    se existe grande diferença em durabilidade entre ferro e alumínio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo,

      Repetindo o que acabei de escrever em outra resposta, eu sempre, sempre acho que a melhor opção é DAHON, inclusive usada. Se encontrar uma, esta é a melhor opção, eu iria na sequência:
      1- DAHON SPEED D7
      2- DAHON ECO, ECO3, ECO C7
      3- TERN LINK C7
      3- DURBAN BAY 6 PRO
      4- TITO TO GO
      5- Outras

      Ainda ou fazer um release destas que fiz o test-drive, estão na fila.

      Normalmente as de alumínio são mais leves e mais resistentes à corrosão, mas as de aço cr-mo (cromoly) possuem ambos os atributos e ainda são bem mais confortáveis. Porém a única que tem este material é a DAHON SPEED D7, uma super bike, mas não muito fácil de encontrar.

      Em relação à durabilidade, depende muito do uso, não exatamente do material, embora as de aço carbono sejam desconfortáveis, pesadas e muito suscetíveis a corrosão.

      []s

      Excluir
  7. Olá Robson!
    Que pena que a cadeirinha numa bicicleta dobrável não é adequada e nem segura.
    A bike seria ideal no meu caso, pois tenho que descer uns lances de escada no meu prédio e ainda levar a bb de quase 2 anos no colo, já que ainda não desce com tanto equilíbrio.
    É uma pena mesmo, seria muito mais fácil carregar os dois ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, pesquisando sobre a Soul D7, eu achei esse vídeo:
      http://www.youtube.com/watch?v=g2_LJDBJ1Yc

      Achei bem bonito e mostra uma mãe levando o bebê numa cadeirinha dianteira!

      Excluir
  8. Olá, peso 107kg as bicicletas dobráveis infelizmente não são indicadas neh/
    Obrigada
    Patricia

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    O limite quase padrão de praticamente todas as dobráveis é 105Kg. Esta é uma margem de segurança.
    Portanto eu diria que seu peso está no limite possível e seguro.
    Pela minha experiência eu diria que não há problemas. Eu fico também neste limite se juntar meu peso total de carga.

    []s

    ResponderExcluir
  10. Olá, gostaria (se possível) de algumas considerações sobre a marca Lola, que é a que mais se adapta ao meu atual orçamento. Mas não quero que o barato acabe saindo caro! ;)
    Rodriguez

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...